Macro fotografia em Odontologia: Se treina. Parte 3

December 22, 2016

 

 

Outro ponto de grande importância para o controle da luz na fotografia, é a velocidade do obturador,

( velocidade de abertura do diafragma ). Pela velocidade do obturador conseguimos controlar  o tempo de entrada da luz. Quanto mais tempo passar aberto, mais luz entrará no sensor da câmera. Desta forma, com MENOR velocidade para abrir e fechar o diafragma, se consegue compensar a pouca entrada de luz em "f"32.

O controle da velocidade de abertura do obturador é feito pela câmera, sendo dado em frações, embora venha escrito como se fossem números inteiros, como mostra o exemplo abaixo:

  UMA ALTA VELOCIDADE, COMO 1/8000, VEM ESCRITO NA CÂMERA COMO VELOCIDADE: 8000

Para compreender o quadro de velocidades básicas na câmera fotográfica, é importante saber que:

1- Os números representam frações de segundo

2- O sinal " ao lado de um número, representa segundos.

3- A letra B significa uma abertura indefinida. Abre o diafragma quando acionamos o botão disparador, e só fecha quando soltamos o botão.

Assim temos:

Velocidade

                            1. Por 8000, 4000, 2000, 500, 250, 125, 60, 30, 15, 8, 4, 0,5, 1", 2", 4", 8"15"30", B

Um detalhe: "QUANTO MAIS LENTO FOR A VELOCIDADE DO OBTURADOR, MAIORES SERÃO AS CHANCES DE NOSSAS MÃOS TREMEREM". Uma velocidade baixa, pode ser a causa de uma foto tremida. Como não podemos diminuir a velocidade, para resolver este outro impasse, necessitamos usar um flash adequado     ( intensidade de luz suficiente ) para este fim.

Como as fotos em Odontologia necessitam de flash, uma velocidade de 125 é capaz de possibilitar a entrada de luz em um diafragma bem fechado, como f22 ou f32. Com esta velocidade se evita fotos tremidas. Por isso, deve-se evitar os flash com intensidade de luz insuficiente ( flash a LED ) .

Importante:

Velocidades altas, congelam a imagem, diferente de velocidades baixas, que mostram as imagens como uma cortina, conforme se observam nas fotos acima. Em Odontologia, velocidades baixas são utilizadas apenas para fotografias de modelos protéticos e podem necessitar de tripé. Neste caso, pode ser usada também a luz contínua. 

Fotografias macros, de insetos, flores etc. também é possível utilizar velocidade baixa. Desde que estes se encontrem totalmente imóveis.

 

 

Please reload